inteligencia-artificial-no-design

Como aplicar a inteligência artificial no design?

Imagine um mundo onde a tecnologia antecipa suas necessidades e é capaz de fornecer soluções antes mesmo de você perceber que precisa delas.

Parece coisa de um filme futurista, não é mesmo?

Porém, com a inteligência artificial (IA) cada vez mais presente em nosso cotidiano, essa é a nossa realidade atualmente.

No universo do design, por exemplo, a IA está redefinindo as regras do jogo.

Ela não apenas promete tornar os processos mais eficientes, como também tem potencial para elevar a criatividade a novos patamares.

Descobrindo tendências e preferências de usuários que poderiam passar despercebidas ao olho humano.

Se você é um designer, um entusiasta ou simplesmente uma pessoa curiosa para entender como essa tecnologia disruptiva está remodelando o design, você está no lugar certo! 

Continue a leitura e descubra como a IA está revolucionando o design e como você pode aplicá-la ao seu trabalho.

Vamos nessa?

Como a inteligência artificial pode ajudar o design?

A inteligência artificial pode ser uma grande aliada dos designers, pois pode auxiliar em diversas etapas do processo criativo.

Por exemplo, a IA pode automatizar e acelerar tarefas que demandam muito tempo ou esforço.

Como organizar arquivos, formatar documentos ou criar elementos visuais padronizados.

Assim, os designers podem se dedicar mais às atividades que exigem criatividade e estratégia.

Além disso, a IA pode analisar dados e oferecer sugestões que podem ajudar os designers a tomar decisões mais criativas e personalizadas para cada projeto.

Levando em conta os padrões, as tendências, as preferências e os comportamentos dos usuários.

Outra forma que a IA pode ajudar o design é gerando novas ideias por meio de prompts ou estímulos fornecidos pelos designers.

A IA pode criar imagens, textos, sons e outros conteúdos que podem ampliar o repertório criativo dos designers e inspirá-los a explorar novas possibilidades.

Por fim, a IA pode facilitar a colaboração e a comunicação entre os designers e outros profissionais envolvidos no projeto, como desenvolvedores, clientes, usuários, etc.

Uma IA pode atuar como um assistente virtual, respondendo a perguntas e oferecendo suporte.

Quais são as ferramentas de IA que todo designer precisa conhecer?

O design é uma área que se beneficia muito das ferramentas de IA, pois elas podem oferecer recursos e funcionalidades que facilitam e enriquecem o trabalho dos designers. 

Algumas das ferramentas de IA que todo designer precisa conhecer são as seguintes:

Ferramentas de reconhecimento de imagem e estilo

Essas ferramentas podem identificar objetos e estilos em imagens, permitindo que os designers encontrem inspiração e referências visuais com facilidade.

Por exemplo, o Google Cloud Vision API1 e o Adobe Sensei2 são tecnologias que podem reconhecer cores, padrões, formas, rostos e muito mais em imagens.

Ferramentas de geração de imagem por prompt

Essas ferramentas podem criar imagens a partir de uma descrição textual ou visual fornecida pelo designer.

Essas imagens podem ser usadas para ilustrar conceitos, criar protótipos ou simplesmente se divertir.

Por exemplo, o Firefly é uma ferramenta que permite gerar imagens por prompt usando redes neurais artificiais.

Temos também o DALL-E da OpenAI que utiliza uma versão de 12 bilhões de parâmetros do modelo GPT-3 Transformer.

Isso para interpretar entradas de linguagem natural e gerar imagens.

Já o Midjourney é outra ferramenta que usa os mesmos princípios, mas funciona dentro do Discord, permitindo uma experiência mais colaborativa e social.

Ferramentas de design UI com inteligência artificial

Essas ferramentas podem ajudar os designers a criar interfaces de usuário mais intuitivas e amigáveis para produtos digitais, como aplicativos ou sites.

A IA pode analisar dados dos usuários e sugerir melhorias no layout e na usabilidade de um aplicativo ou site.

Uma das ferramentas mais populares e poderosas nesse contexto é o Adobe Photoshop, um software que integra a IA do Firefly para gerar conteúdos visuais com base em prompts textuais.

O Photoshop permite que os designers criem imagens impressionantes com apenas algumas palavras, usando a IA para preencher os detalhes e ajustar os elementos.

O Photoshop também oferece outras funcionalidades de IA, como o filtro neural, que permite aplicar efeitos artísticos às imagens, e o seletor de objetos.

Que permite selecionar e editar objetos específicos nas imagens.

Veja também: Creative Cloud 2017 – Adobe CC 2017 Download Links TODAS as Linguagens.

Quais são os desafios e as limitações da IA no design?

A IA no design traz muitos benefícios e possibilidades, mas também apresenta alguns desafios e limitações que devem ser levados em conta pelos designers.

Um dos principais desafios é a questão ética e moral envolvida no seu uso.

Especialmente no que diz respeito à privacidade, segurança, transparência, confiabilidade e viés dos dados e dos algoritmos.

A IA depende do big data, ou seja, de grandes volumes de dados coletados e processados na internet, para gerar suas saídas.

No entanto, esses dados podem ser sensíveis, incompletos, incorretos ou tendenciosos, afetando a qualidade e a integridade dos resultados da IA.

Outro desafio é a questão da criatividade e da originalidade no design.

A IA pode gerar conteúdos criativos, mas isso não significa que ela possa substituir a criatividade humana.

Ela ainda depende de inputs fornecidos pelos designers e de dados pré-existentes para gerar suas saídas.

Além disso, a IA pode gerar conteúdos que sejam semelhantes ou até mesmo plagiados de outras fontes, comprometendo a originalidade e a autoria dos projetos.

Os designers devem usa-la como uma ferramenta complementar e não como uma solução definitiva para o design.

Por fim, outro desafio é a questão da colaboração e da comunicação no design.

A IA pode facilitar a comunicação e o compartilhamento de informações entre os designers e outros profissionais envolvidos no projeto.

Mas também pode gerar ruídos e mal-entendidos.

E ainda não é capaz de compreender totalmente o contexto, as emoções e as intenções humanas, podendo gerar respostas inadequadas ou incoerentes.

Como as IAs se tornaram tendência na área de design

As IAs se tornaram tendência na área de design por diversos motivos, entre eles:

Avanço tecnológico

A evolução da tecnologia permitiu o desenvolvimento de algoritmos mais sofisticados e poderosos, capazes de processar grandes volumes de dados e aprender com eles.

Além disso, o aumento da conectividade e da disponibilidade de dados na internet facilitou o acesso e o seu uso por diferentes profissionais e usuários.

Demanda do mercado

O mercado atual exige produtos cada vez mais inovadores, personalizados e adaptados às necessidades e preferências dos usuários.

A IA pode ajudar os designers a atender essa demanda, oferecendo soluções mais rápidas, eficientes e inteligentes para os problemas do design.

Mudança cultural

A cultura atual valoriza cada vez mais a criatividade, a experimentação e a diversidade.

Pode estimular esses valores, permitindo que os designers explorem novas formas de expressão, comunicação e interação.

Ela também pode contribuir para a inclusão social, ampliando o acesso e a participação das pessoas no design.

Como integrar a IA ao processo de design?

A integração da IA ao processo de design não precisa ser complicada.

O primeiro passo é compreender como a IA pode beneficiar o seu processo de design e quais ferramentas estão disponíveis para você.

Em seguida, você pode começar a experimentar essas ferramentas e ver como elas se encaixam no seu fluxo de trabalho.

Por exemplo, você pode usar a IA para automatizar tarefas repetitivas, como o recorte de imagens ou a criação de mockups.

Ou você pode usar a IA para analisar dados e fornecer insights que melhorem as suas decisões de design.

A chave é começar pequeno e ir expandindo o uso da IA à medida que se familiariza com as ferramentas e possibilidades.

Projeções futuras das IAs no design

Quando olhamos para o futuro do design e a interação com a inteligência artificial, a antecipação é grande.

Existem várias direções promissoras que esta relação pode tomar, entre as quais se destacam três tendências principais.

Um dos rumos mais excitantes é o aumento da autonomia criativa da IA.

As IAs podem se tornar mais capazes de gerar conteúdos criativos sem depender de inputs ou dados fornecidos pelos designers.

As IAs podem também aprender a se adaptar a diferentes contextos e situações, gerando soluções mais inovadoras e originais para os problemas do design.

Uma segunda tendência é a mudança para uma interação mais colaborativa e intuitiva entre a IA e os profissionais de design.

A inteligência artificial poderá entender e responder de maneira mais eficiente usando linguagem natural e até reconhecimento de gestos.

A IA também deve se tornar mais capaz de interpretar as emoções e intenções humanas, resultando em respostas que estão em sintonia com as necessidades dos usuários.

Por último, temos a expectativa de que a IA se tornará cada vez mais integrada e acessível. 

As suas funcionalidades estarão embutidas nos produtos e serviços digitais que utilizamos diariamente.

Tornando-a uma ferramenta disponível para todos, independentemente de sua experiência ou habilidade técnica.

Isso significa que mais pessoas poderão aproveitar os benefícios dessa tecnologia.


Publicado

em

por

Tags:

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *